BIOLOGIA DAS ARANHAS

          As aranhas são artrópodes pertencentes à Classe Aracnídea, a mesma dos escorpiões, apresentando corpo dividido em cefalotórax e abdome, com quatro pares de pernas, apêndices, quelíceras e fiandeiras. Logo, não são insetos, já que não pertencem à Ordem Insecta.

          A Ordem Araneae, a qual as aranhas pertencem, é um dos maiores grupos animais no que diz respeito à sua diversidade. Essas predadoras estão distribuídas por todo o mundo, existindo em nosso país mais de 12 mil espécies. São muito importantes no controle populacional de diversos invertebrados – inclusive insetos.

          Em razão de a maioria das espécies construírem teias, desempenhar estratégias muito surpreendentes de predação, e também possuir veneno, são animais que, além de curiosidade, despertam medo nas pessoas. Entretanto, acidentes não são tão frequentes, e ocorrem quando estes se sentem ameaçados. Por isso, é necessário ter bastante cuidado, por exemplo, ao calçar um sapato sem antes verificar se não há nada dentro dele.

          Três são os gêneros das aranhas peçonhentas encontradas no Brasil: Phoneutria, Latrodectus e Loxosceles; abrigando as armadeiras, viúvas-negras e aranhas-marrom, respectivamente. A partir destes dados, outra informação importante é a de que aranhas caranguejeiras não inoculam veneno.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

         

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Prevenção de Acidentes

          Há medidas preventivas que se aplicam a todas ou maioria das pragas domésticas. Para prevenir que aconteçam acidentes com aranhas, algumas medidas podem ser tomadas:

  • Evitar acúmulo de lixo doméstico, entulho ou material de construção próximo à residência;

  • Manter sempre limpos quintais e jardins;

  • Manter os domicílios sempre limpos, movendo do lugar quadros e móveis, periodicamente;

  • Agitar roupas pessoais, de cama e de banho antes de usar, principalmente nas áreas onde se registraram acidentes;

  • Procurar ter as mãos enluvadas para mexer em entulhos, montes de lenha ou de tijolos, folhagens e buracos, bem como, no trabalho agrícola

  • Andar sempre calçado, sacudindo os sapatos antes de calçá-los;

  • Tapar buracos e frestas de paredes, janelas, portas e rodapés.

 

Métodos de Controle - Desinsetização (Dedetização)

  • Tratamento Localizado;

  • Pó de Contato;

  • Micropulverização;

  • Nebulização;

  • Atomização.

 

Curiosidades

  • Várias espécies de aranhas são miméticas de formigas, isto é, têm forma e colorido e comportamento que imitam estes insetos ora para obter proteção dos predadores, ora para alimentarem-se das formigas com sucesso;

  • Os filhotes de aranhas e mesmo alguns adultos pequeninos dispersam-se por aeronautismo, isto é, emitem um fio de seda, e se deixam levar pelo vento a quilômetros de distância;

  • As aranhas-mãe do gênero Loxosceles apresentam cuidado com a prole pouco desenvolvido. Ficam perto ou sobre a ooteca, mas geralmente não a defendem e não vacilam em se afastar dela para procurar alimento;

  • Existem aranhas que se camuflam com o substrato, adquirindo a cor das flores;

  • As vespas são eficientes inimigos naturais de aranhas.

 

 

          Quanto as aranhas armadeiras, estas pertencem a um dos grupos mais agressivos. No momento do ataque, elas levantam suas patas        dianteiras e, apoiadas sobre as traseiras, saltam em direção ao alvo. A maioria dos acidentes envolvendo aranhas é causada por animais pertencentes a este gênero, provocando dor intensa, vermelhidão, pequeno inchaço e sudorese local.

          As viúvas-negras possuem este nome porque ao final do acasalamento, em muitas espécies do grupo, a fêmea arranca a cabeça do macho e o devora.            Seu veneno provoca dor intensa, e pode causar, em algumas situações, sudorese, taquicardia, hipertensão e contrações musculares e, em situações graves, choque anafilático. Em homens, pode provocar priapismo: uma ereção persistente e frequentemente dolorosa.

          As aranhas marrons possuem tamanho pequeno, porém um veneno muito potente. Não são agressivas, mas atacam quando são pressionadas contra o corpo, formando uma ferida de difícil cicatrização e que pode causar necrose, caso a pessoa acidentada não tome as devidas providências clínicas. Alguns pacientes, também, desenvolvem quadro de anemia e até mesmo insuficiência renal, revelando a importância de se buscar auxílio médico.

          Para todos esses casos de araneísmo, existe soro, cuja principal forma de uso é a intravenosa. Pode ser recomendado o uso de anti-histamínicos, a fim de prevenir contra reações alérgicas.

RESPEITO, COMPROMETIMENTO E TRANSPARÊNCIA 

É  NOSSO MELHOR ATENDIMENTO!