BIOLOGIA DOS CUPINS

          Os mais encontrados estão em regiões mais quentes, portanto, se concentram nas regiões tropicais e subtropicais do globo terrestre.

          As espécies sinantrópicas do Brasil são representadas por: Cryptotermes havilandi, Heterotermes tenuis, Nasutitermes corniger e Cryptotermes brevis.

          As castas exercem diferentes funções: a rainha e o rei têm função na reprodução e manutenção da colônia, a casta dos soldados, protege os ninhos, e a casta dos operários, que são as responsáveis pelo fornecimento de suprimento e construção do termiteiro e, é a casta mais numerosa.

          Os cupins têm como todo inseto, o corpo dividido em cabeça, tórax e abdômen, têm três pares de pernas, e a casta dos reprodutores apresenta dois pares de asas sub iguais. Na cabeça há um par de antenas e um par de olhos compostos, desenvolvidos nas formas aladas e atrofiados nas formas ápteras.

Habitat dos Cupins

          Os ninhos construídos no interior de madeiras secas ocorrem causam transtornos à sociedade humana ao infestar móveis, casas e outras construções, trazendo prejuízos econômicos, além de danos históricos.

          As espécies de cupim que habitam mobílias e madeiras em geral instalam-se em cavidades interligadas que produzem. A estrutura da madeira se torna tão fina que se quebra com facilidade.              Sempre há também orifícios circulares que ligam as cavidades com o exterior.

          Os principais materiais usados na construção desses ninhos são partículas de solo e/ou madeira, material fecal e saliva, em diferentes proporções.

Ciclo de vida dos Cupins

          Os cupins são insetos que apresentam metamorfose incompleta, ou seja, o estágio imaturo não difere muito do estágio adulto, no que diz respeito à forma e preferência alimentar. O ciclo de vida desses insetos compreende os ovos, formas jovens (ou ninfas) e adultos.

          Os cupins têm polimorfismo, isto é, cada casta tem forma distinta. A casta dos reprodutores são os reis e as rainhas, que na câmara nupcial que escavam juntos, copulam e dão início a uma população. Dos ovos eclodem formas jovens, que irão se transformar em operários, soldados ou novos reprodutores.

          Os operários são responsáveis pela construção dos ninhos, pela coleta de alimento, pelo cuidado de outras castas e, frequentemente, também colaboram na defesa da colônia. São estéreis, ou seja, não são capazes de se reproduzir.

          Os soldados defendem a colônia contra inimigos e invasores. Possuem cabeça e mandíbulas grandes e apresentam uma grande variedade de formas e mecanismos de defesa, tanto mecânica como química. Muitos possuem glândulas especiais que produzem secreções de defesa.

          Alimentam-se, basicamente, de materiais celulósicos, que encontram em papéis, estruturas de madeira e raízes de plantas, e para digeri-las têm associações com protozoários ou mais comumente com bactérias.

Tipos de Cupins

          Os cupins se dividem em duas espécies (cupim de madeira seca e cupim subterrâneo).

          Cupim de madeira seca: são cupins que vivem em madeira com baixo teor de umidade onde a própria madeira e o ambiente em que vivem provem a umidade que necessitam para sobreviver, atacam discretamente os móveis podendo formar colônias completas no interior da madeira.

          Cupim subterrâneo: Esta espécie é denominada assim por construírem seus ninhos no solo, mas podem migrar para outros ambientes como: caixões perdidos em edifícios, vãos entre lajes, paredes duplas e outros. Um dos sinais do ataque desta espécie são os caminhos feitos de terra, fezes e salivas que ajudam a proteger seus predadores, perda de água e outros problemas.

Importância dos Cupins

          No entanto, a importância ecológica, reside na decomposição de madeiras mortas, na aeração, drenagem e ciclagem de nutrientes do solo, além de no caso de os montículos servirem de abrigo para vários outros animais, e também, de alimento para pássaros, morcegos, primatas e até humanos.

          Na pesquisa cientifica, alguns estudos demonstram que os cupins ao digerir o principal constituinte das plantas, que é a celulose, geram um gás com grande eficiência que tem alto poder de combustão. A circulação de ar dentro do montículo através da convecção serve de modelo para a construção de casas ecológicas.

Curiosidades dos Cupins

          Em algumas espécies africanas de cupins, os montículos podem chegar a 8 metros de altura, com uma população de aproximadamente 2 milhões de indivíduos.

          Os cupins operários podem se deslocar 115 metros além da colônia, à procura de alimento.

          Para certas espécies australianas demonstrou-se que a arquitetura do cupinzeiro tem base de construção em orientações magnéticas da terra.

          Os cupins utilizam de correntes de convicção para regular a temperatura e umidade dentro do cupinzeiro.

          Alguns engenheiros na Inglaterra vêm estudando as correntes de convecção dos cupins de montículo para aplicar na construção de casas ecológicas.

          Gases produzidos na digestão bacteriana no intestino de cupins podem ser utilizados como combustível.

          Nem todos os cupins atacam madeiras, os de montículo, por exemplo, frequentes nas pastagens alimentam-se de raízes mortas de gramíneas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cupim - Dicas preventivas

              Outra medida importante que pode ser tomada é apagar as luzes na época de revoada de Aleluias ou Siriris, pois estes insetos são atraídos pela iluminação e podem infestar as residências.            Além disso, é interessante utilizar madeiras como peroba rosa, jatobá e a maçaranduba, que não são atacadas por cupins, pois seu cerne (porção central do tronco) apresenta compostos químicos que deixam as madeiras resistentes a esses ataques.

          Algumas formas de saber se sua casa está com cupim:

          Para identificar a presença de cupins em instalações domiciliares deve-se observar a ocorrência de um pozinho marrom, que são as fezes dos cupins e um indício direto do seu ataque.

          As espécies que habitam mobílias e madeiras em geral instalam-se nesse material e produzem cavidades que são ligadas umas às outras. Ao escavar, formam túneis que são cobertos com cera protetora, que periodicamente é retirada para a remoção de suas fezes. É nesta fase que se dá o aparecimento do pó de coloração marrom.

          A estrutura da madeira se torna tão fina que se quebra com facilidade. E sempre há orifícios circulares que ligam as cavidades com o exterior.

          Outra forma de verificar a existência de cupins é quando há asas perto de objetos de madeira, pois estes insetos após se reproduzirem, perdem suas asas.

          Muitas pessoas aplicam cupinicidas nos túneis achando que assim irão exterminar os insetos, no entanto, na maioria das vezes, o inseto não está ao alcance da aplicação (dedetização).

Cupim de Solo

Túnel do Cupim (Fezes e Saliva)

    Cupim de Madeira Seca

Grânulos (Fezes)

Reprodução dos cupins

          Na primavera, quando o ar está mais úmido, geralmente após uma chuva, machos e fêmeas enxameiam, ou revoam e, chegando ao solo, perdem as asas e formam os casais reais.     

          Então, num pequeno buraco ou depressão próximos à uma madeira ou escavando uma câmara no solo, copulam, a rainha põe ovos e iniciam um novo ninho. Logo a população de operárias e soldados que destes nascem iniciam suas funções.

RESPEITO, COMPROMETIMENTO E TRANSPARÊNCIA 

É  NOSSO MELHOR ATENDIMENTO!